História

História da Patinação Artística

ieda-maria-vargas-hokeyEm 1969, com as participações femininas, familiares e amigos dos alunos internos e através da importante presença do Prof. Sr. Osvaldo Casagrande, do Ir. Darvil Bozzetto e da Associação de Pais e Mestres do Colégio Champagnat (APAMECHAM), é realizada no dia 21/06/1969 a primeira apresentação artística dentro das comemorações do dia de São João. Esta Noite de Gala contou com a participação do primeiro grupo de patinadores, de atletas acrobáticos do Grêmio Náutico União e teve a presença de varias autoridades, como também a cobertura da Radio e TV Gaúcha, e da impressa escrita e falada. Desta forma foi instituído o primeiro grupo artístico do Rio Grande do Sul, denominado Tangarás, que se torna um dos mais importantes divulgadores e impulsionadores do esporte da patinação, que através de um espetáculo artístico foi visto em quase todo o estado, em Santa Catarina e em vários países do Cone Sul.

Em 1984, já organizado como um clube institucional, os Tangarás deixa as dependências do Colégio Champagnat, tentando expandir seu trabalho. Resumidamente, o clube acaba não conseguindo se firmar e hoje o que ainda resta da sua história e parte do equipamento deste importante grupo gaúcho, se encontra novamente nas dependências do Colégio Marista Champagnat, graças ao importante apoio dos Irmãos Maristas e da Direção.

Federação Gaúcha de Patinagem

A Federação foi fundada, nas dependências do Colégio Marista Champagnat no dia 10 de agosto de 1973 para difundir, promover, coordenar, organizar, representar e regulamentar a patinação no estado do Rio Grande do Sul. Os fundadores da federação foram, Clube de Patinadores Tangarás do Colégio Marista Champagnat de Porto Alegre, Associação Atlética Cruzada do Colégio Marista Medianeira de Erechim, Sociedade Ginástica de Santa Cruz de Santa Cruz do Sul e Grêmio Football Porto-alegrense de Porto Alegre.

No decorrer destes vários anos de existência a Federação já organizou vários Torneios e Campeonatos Gaúchos, Campeonatos Nacionais e Internacionais como o Campeonato Sul-Americano e o Torneio Internacional dentro do estado do Rio Grande do Sul, como também vem participando e representando com muito bem o povo gaúcho, com expressivas colocações em todos os eventos Nacionais e Internacionais.

A Federação é uma das fundadoras da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação “C.B.H.P.”. O Primeiro campeonato nacional realizado no estado do Rio Grande do Sul foi no Ginásio do Colégio Marista Champagnat em 1980.

Projeto Memória Viva

O Projeto Memória Viva esta sendo organizado pelos Professores Leandro e Luciane Dias, através do Grupo Artístico “Patinação Passo a Passo”, procurando manter sempre viva este importante marco de nossa história e do esporte sobre rodas no Rio Grande do Sul.

Contando sempre com o apoio dos Irmãos e comunidade Marista, Pais, Alunos, Professores e Direção, estamos procurando manter sempre viva esta modalidade esportiva e artística que desde 1963 dentro das dependências do Colégio Marista Champagnat propicia a oportunidade da pratica e de vivenciar o esporte da patinação e que faz parte na formação e do projeto educacional desta importante instituição Porto Alegrense e Gaúcha.

Parte desta Bibliografia é do livro – “CHAMPAGNAT 50 ANOS FAZENDO ESCOLA” – narrada e escrita pelo historiador Irmão Nadir Bonini Rodrigues.

História da Patinação no Brasil

Patinação no Brasil teve seu início por volta de 1900 em São Paulo. A Patinação foi sendo implantada como uma atividade recreativa trazida da Europa por estudantes brasileiros. Tornou-se um modismo praticar a patinação em rinques e parques, que na época eram locais de encontro da alta sociedade.

Os rinques de patinação da época passaram a promover os chamados “concursos de patinação”, onde o patinador se apresentava para o público presente, que ao término das apresentações colocava seu voto em uma urna. Era levando em consideração o patinador que apresentasse melhor destreza ao patinar, naturalidade e elegância.

Segundo alguns relatos, nessa fase inicial destes concursos, havia um patinador brasileiro de nome Antoninho Marques, que se tornou famoso por ganhar todos os concursos em que participou.

Em meados de 1916, surgiu nos rinques o primeiro brasileiro a participar de um concurso de patinação artística no Exterior, mais precisamente na França, seu nome era José Erotides Marcondes Machado, mais conhecido como “Tidoca”.

Em 1920, “Tidoca” sagrou-se campeão brasileiro da modalidade ao vencer todos os concursos de que participou.

Entre 1936 e 1943, a patinação artística passou por período de estagnação no Brasil. Só em 1944, com a inauguração de alguns rinques de patinação que a modalidade voltou a ser praticada com regularidade.

Em 20 de setembro de 1944, o Rinque Boa Vista tornou-se palco de apresentação dos principais patinadores nacionais. Entre eles, Tidoca Marcondes Machado e Julieta Meira Braga, campeões brasileiros na categoria Clássicos, Otavio Orlandi e sua neta Lourdes Alvarenga na categoria Ritmo, Glauco Giannesi e Branca Banhos na categoria perfeição, Casimiro Valinhos, chamado de grande saltador, na categoria Arrojo, Alvaro de Oliveira Desiderio e Fanny Stefan na categoria Elegância, Rafael Bologna na categoria Classe, e Antonio Requena Neto e Ligia Perissinoto, considerados a melhor dupla brasileira da época na categoria Harmonia.

Em 1947 foi realizado o I Campeonato Mundial de Patinação Artística, promovida pela FIRS (Federação Internacional de Patinação) na cidade de Washington (EUA). O Brasil somente veio a participar pela primeira vez de um Campeonato Mundial no ano de 1972 em Bremen na Alemanha.

Enquanto continuavam os concursos em rinques, a patinação iniciou uma nova fase, passando a ser praticada também em clubes. Com a vinda do espetáculo de patinação sobre rodas “Skating Vanities”, na década de 50, se propiciou a motivação e se deu inicio a organizar shows de patinação.

A partir de 1970 a Patinação Artística tornou-se mais competitiva e poucos shows continuaram a existir.

patinacao-pass-a-passo

Skating Vanities & Dancing Waters (1951)

Em 1955 se iniciou a fabricação de patins de rodas no Brasil através do empreendedor Comendador Hiada Torlay.

Na década de 1970, com seus próprios recursos, o Comendador HiadaTorlay convida técnicos e patinadores do Chile, Argentina, Uruguai e Colômbia, para participarem de cursos de patinação. Como esta iniciativa é implantada a patinação artística competitiva na América do Sul.

Em 1971 foi realizado o 1º Campeonato Sul-Americano de Patinação Artística no Ginásio do Ibirapuera em São Paulo. Participaram o deste evento o Uruguai, a Argentina, a Colômbia e o Brasil. A brasileira Cecília D’Andrea sagrou-se a primeira campeã sul-americana da modalidade. Cecília voltou a repetir o feito no ano de 1973, tornando assim bicampeã Sul-Americana.

patinacao-pass-passoCecília Di Andrea e Mr. Wingaerden (Presidente da CIPA)

Em 1972, o Brasil participou pela primeira vez de um Campeonato Mundial de Patinação Artística em Bremen (Alemanha).

A convite do Comendador Hiada Torlay a patinadora Brasileira Cecília D’Andrea, que apenas pretendia assistir ao campeonato, efetivou sua inscrição na categoria individual feminino e veio a participar do XVII Campeonato Mundial de Patinação Artística.

O 1º Campeonato Brasileiro de Patinação Artística foi realizado nos dias 7 e 8 de maio de 1975 no Clube Militar no Rio de Janeiro, com a participação das Federações de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

equipe-patinacao-no-brasil

EQUIPE GAÚCHA NO CAMPEONATO BRASILEIRO NO RIO DE JANEIRO – RJ – 1978

Desde então, a Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação tem realizado regularmente campeonatos brasileiros e vem participando de todos os campeonatos sul-americanos, pan-americanos e mundiais.

[Sgmb id = “1”]